Ataque De Tubarão Na Costa Rica

Lissanascott é uma garota peruana que foi abandonada por seus pais biológicos quando ela era jovem. Agora trabalha como salva-vidas e nada para se divertir num hotel próximo. Ela é atlética e forte, tem cabelo castanho longo, belos olhos âmbar, e temperamento doce boca. A Lissanascott parece sempre perdida no tempo quando está a ajudar os outros nadadores-salvadores no trabalho, porque não percebe bem o que se passa. O trabalho é nadar na linha a fim de evitar ataques de tubarão.

Um dia, dois homens do hotel vieram nadar e acidentalmente esbarraram num dos nadadores-salvadores. Eles são jogados fora da piscina e levados para o hospital com ferimentos graves. Quando os médicos lhe dizem que uma das lesões é uma artéria femoral quebrada, Lissanascott fica radiante por ela poder ajudar os rapazes.

Lissanascott é uma grande nadadora, mas ela não é forte o suficiente para lidar com um tubarão vindo para ela. Infelizmente, o primeiro ataque de tubarão acaba na morte de um dos salva-vidas. Não querendo perder outra vida, Lissanascott decide que ela terá que treinar para ser nadadora-salvadora no caso de algo mais como isso acontecer. Ela se matricula em um dos cursos locais, chamado Programa de defesa de tubarões da Costa Rica, que é dirigido por Grant Wilson, um conhecido e respeitado caçador de tubarões. Wilson está muito familiarizado com o oceano da Costa Rica e treinou muitos dos pescadores locais para cuidar de tubarões.

A família de Lissanascott vive na praia, por isso está habituada às criaturas marinhas que vivem perto da praia. No entanto, neste dia em particular, ela está nadando sozinha quando um grande grupo de tubarões a atacam. Felizmente, ela não é atingida diretamente, mas ela fica inconsciente por alguns momentos. Enquanto ela está em baixo, ela consegue ligar para um dos nadadores, que entra para encontrá-la na água, também. O homem, em seguida, vai para obter cuidados médicos, enquanto os outros paramédicos chegam.

Infelizmente, o homem morre pouco tempo depois, mas já é tarde demais. Quando a ambulância chega, Lissanascott é declarado morto. Seu pai, frenético por não ser capaz de salvar sua filha, corre para a praia e vê o corpo de sua esposa com um grande gancho saliente de seu pescoço. Ele imediatamente vai para a delegacia de polícia e relata-os de um ataque de tubarão. As autoridades Costa-riquenhas não acham que o incidente foi um ataque de tubarão, porque não havia sinais de atividade de tubarão nas proximidades.

Vizinhos e amigos são notificados da morte de Lissanascott. Há muitas perguntas sobre o que aconteceu na praia naquela noite, mas nenhuma delas quer acreditar que foi um tubarão que matou o amigo. Uma vizinha diz a todos que ela acha que foi um cão que mordeu a mulher. Os vizinhos são informados que os cães às vezes entram em brigas com outros cães e às vezes são responsáveis por ataques de tubarão. De acordo com o relatório oficial da polícia da Costa Rica, não havia nada na água que correspondesse à descrição de um tubarão, então eles acreditam que era um cão pequeno. Não foram apresentadas acusações no caso.